.....................................................................Escritor clandestino é quem navega neste mar literário
...................................................................................sem se preocupar com o itinerário.

.......................................................................................A.J. Cardiais

Exercício de Linguagem - A.J.Cardiais



O que é que eu faço
Exercitando a poesia?
Não passa um dia
Que ela não esteja
No meu leito.

É preciso ter garra,
É preciso ter manha,
É preciso ter peito
Para niná-la a cada dia
De um jeito.

Exercício de linguagem
Está na língua
E na coragem
De fazer com a poesia
Uma simples vadiagem.

A.J. Cardiais
imagem: google
Poema do livro Navegante Neutro

Segredos do seu Versar - Rodrigo Arcadia



Segredos do seu Versar



Da sua boca há um silencio,
São segredos do seu versar,
Que nem o vento carrega.

Segredos escondidos, poeira silenciosa,
Sem fala, sem versos,
Segredos do seu versar, a canção dorme.

E há um poema dentro dos seus olhos,
Vejo dentro deles versos ricos,
Embriagados de luzes, versos que brotam,

Como sementes na terra,
São palavras férteis o seu versar.
E assim vão os segredos do seu versar.

(Rod.Arcadia)

.


.


Perdido Entre Palavras - A.J. Cardiais














Vivo perdido entre palavras e ideias.
Dentro de mim uma alcateia
pede abrigo.
Sofro, mas não digo.
Penso, mas não ligo.
Rimo o limo farto
que gruda em mim.

Abro as válvulas da imaginação
e deixo jorrar
toda esta emoção...

Que ganhem o mar,
que ganhem o mundo
e me ajudem
a me encontrar.


A.J. Cardiais
01.07.2011
imagem: google
Poema do livro Prosopopeia Desvairada

Eu Sou Amor - A.J. Cardiais















Eu sou um ator...
Jogo meu mundo nas nuvens
e, descalço,
finco os pés no chão.

Desnudo-me
de toda poluição
que a vida “perfeita”
propicia.

Sou vida bandida.
Sou vida vazia
ou cheia de coisas
ditas “imprestáveis”
pela maioria.

Eu sou fantasia.
Sou a mais pura alegria.
Eu sou a ironia
que a vida não rimou.

Eu sou o amor.

A.J. Cardiais
imagem:google

Animal Cismado - A.J. Cardiais












Sou um animal muito cismado...
Só me aprisiono,
se for do meu agrado.

Não entro na “jaula”
para ficar conhecido,
e ter afagos do tratador...
Eu dou muito valor
à minha liberdade.

Se me limito, eu omito
minha necessidade.
Se me rendo ou me vendo,
adeus minha verdade.

A.J. Cardiais
13.08.2011
imagem: google

Tradução - Canção do Amor Talvez (violino).wmv



TRADUÇÃO

Busco abrigo em teu corpo
para fugir das amarguras.
Com teus beijos
me embriago e esqueço
das topadas e dos tropeços
que dei pela vida...

Não queria jurar esse amor.
Não queria marcar essa aflição,
e nem queria te passar o tormento
que vive no momento
o meu coração...

Eu queria só tomar
meu café com pão,
e sentir-me feliz
depois do sol...
Eu queria esta luz
que me faz ouvir,
e carregar minha bandeira:
um lençol.

Queria pelas noites e madrugadas
te encher de amor e fantasia.
Eu queria a liberdade
que minha alma pede,
e traduzi-la em uma
Poesia.

A.J. Cardiais
Poema do livro Declaração de Amor

Os Lados da Vida - A.J. Cardiais














Deixo minha poesia beber
de todas as fontes.
Deixo minha poesia conhecer
outros horizontes.

Ela precisa saber que a vida
não é tão colorida
como ela gostaria que fosse...
A vida não tem só o lado doce.

Tem o lado amargo e o azedo.
A vida às vezes mete medo
em quem não está preparado.

Viver é um troço engraçado:
só sabemos qual era nosso “enredo”,
quando estamos “do outro lado”

A.J. Cardiais
03.04.2014
imagem: google

PERDÃO - Lena Ferreira




PERDÃO

Eu peço perdão por te amar desse jeito
que, ao mesmo tempo, te atrai e repele
é que há um mar aqui dentro do peito
que, por rebeldia, vem à flor da pele

Em toda maré, da mudança, o efeito
se mostra mais claro e então me impele
a mil desvarios - loucura ou defeito? -
alterando rotas, por mais que se apele

E quando te afastas, eu corro a procura
com os olhos molhados, cheios de ternura
e, usando palavras suaves, de paz,

Te peço perdão mas dispenso a cura
aceite ou não, nessa minha loucura
encontro razão pra te amar mais e mais

 Lena Ferreira 

Adquira!

À Espera da Noite - Anorkinda



Gosto muito da gritaria passarinha
que invade em alarde o fim da tarde
ajeitando-se nos ninhos, o dia finda
é preciso achar seu próprio canto
descansar o par de asas ligeiras
é preciso fugir da magia da lua

Gosto das cores e nuances do céu
que prepara o toldo mais escuro
para a apresentação das estrelas
em espetáculo de velhos brilhos
abrindo a festa telúrica da noite
em homenagem à deusa lua

Gosto também de ouvir meu pulso
a estas horas tardinhas, arritmia
em expectativa e frisson de festa
sou amante da fria madrugada
ao encontro dela me arrremesso
sou filha dos raios da lua

Gosto de observar os viventes
recolhendo-se para recuperar
as energias gastas ao sol
é quando aprumo minha visão
objetivo o feitiço poético
é quando me cobrem os véus da lua

Anorkinda Neide
imagem: google

Espetáculo - Elenilson Nascimento














O mundo é um espetáculo
O ser humano é um espetáculo
A vida é um espetáculo
Poder respirar, falar, andar...
Tudo isso é um espetáculo

O homem destrói o espetáculo que é o mundo
O homem destrói o ser humano que é um espetáculo
O homem destrói o espetáculo que é a vida
O homem destrói o respirar, o falar, o andar...
O homem destrói tudo que é espetáculo

Contempla o espetáculo imarcescível
Rompendo com o egoísmo
O homem – o espetáculo...
Corrompe o próprio espetáculo
Redobra, acorrenta com correntes voláteis
Podando o seu pensar, o seu andar,
O seu falar, o seu respirar

O que o homem pensa do mundo que é um espetáculo?
O que o mundo pensa do homem que é um espetáculo?
Sei lá, eu é que não sei dizer!
Se eu morresse agora, acho que pensaria nisso

O homem que se diz espetáculo
Estuda tanto e ainda tem tanto pra aprender
Será mesmo que o homem é um espetáculo?

Elenilson Nascimento

Em Paz -- Anorkinda



Sigamos em paz
o chamado do nosso coração...
Tenhamos fé
na vida que ceifada ou alargada
é caminho
é movimento...

Entendamos que a paz
é um chamado do nosso coração.
De dentro pra fora
a vida se desenrola e acontece
é aqui,
é agora.

Espalhemos a paz
que modela nossos corações...
Sem esperar
que o exterior nos contente...

É responsabilidade
e tarefa nossa, a paz em nossos corações.

Anorkinda Neide
imagem: google

Poema do livro Luz de Alcance

Nas Sarjetas - A.J. Cardiais




Nem tudo me inspira...
Mas tudo me atira
nas sarjetas dos poemas,
quando assisto algumas cenas
que não posso poetizar.

A.J. Cardiais
02.02,2014
imagem: google

Livros dos Escritores Clandestinos



Para adquirir só no: Clube de Autores

Vou andando - Anorkinda



Ao objetivo, seja ele claro
Ou algo pressentido
Pelo meu apurado faro

Vou andando tranqüila
Permitindo o preparo
Adequado desta trilha

Ao subjetivo destino
Modero a pilha
De energia e motivo

Vou andando, madura
Moderando o tino
Pincelado de loucura

Anorkinda Neide
imagem: google

Poema do livro Semeadora

Deixe-me na Saudade - A.J. Cardiais



Suguei uma garrafa de saudade,
com vontade de correr
e atiçar-me em seus braços.
Impossível presença...
Impassível emoção...

Meu coração
não só quer dizer: alô!
Minha emoção
não é só esta porta
de abrir e fechar.

Deixa estar meu coração...
Eu quero muito mais
do que os ecos derramados
nos vales das nossas vidas.

Eu quero algo profundo.
Impossível até de ser real...
Eu quero a morte, talvez.
Às vezes, ela é até
um sinal de vida.
De vida longa.

Eu quero um amor de morte,
de música, de infinidade...
Ora, deixe-me na saudade.
Talvez ela seja
a melhor presença
que eu possa ter de ti.

A.J. Cardiais
07.01.1990
imagem: google

A Dura Subida - A.J. Cardiais



Eu sofro...
Mas quando olho a multidão
que sofre muito mais do que eu,
meu sofrimento não é nada.

Dizem que o sofrimento
é uma escada
que nos leva para os céus...

Se for assim
temos que agradecer a Deus
pela escada que Ele nos deu.

Mas que é dura a subida,
isto é...
Deus que me perdoe.

A.J. Cardiais
31.12.2010
imagem: google

Sonho de Um Poeta - Rodrigo Arcadia



Ele pinta asas para você voar.
Disfarça a dor que sente
Colorindo o céu de anil.

Tem dias que só existe tristeza,
Outros, o balançar de uma alegria.
Tem dias que os olhos mentem o que a gente sente.

Ele pinta a criança que habita em você.
Disfarça a tua angustia
Colorindo a vida de algodão-doce.

Tem dias que o sonho mora em mim
Como o versar de um poeta.
Tem dias que os olhos riem a loucura da gente.

A loucura da gente.
A Loucura que os olhos sentem.
Os olhos gritam o suspiro de julho.

Rodrigo Arcadia
imagem: google

Ao Ouvir os Sinos - Anorkinda


A canção é ouvida
quando os principais
centros vitais
se comunicam.

A sensação é bonita,
parecem sinos dobrando...

A emoção é recíproca
porque as notas
ressoam soltas
entre nós.

A fração de segundo,
eterniza o amor que está brotando...

Anorkinda Neide
imagem: google

Soneto Corrosivo - A.J. Cardiais



Antes,
o que eu dizia
ser minha poesia,
era tudo ilusão.

Antes,
a minha mão
de reger fantasia,
descrevia o passo da canção.

Hoje,
meu soneto
é lento...

Escrevo
como o vento:
corroendo os acervos.

A.J. Cardiais
imagem: google

Poema do livro: Sub Versos Corrosivos

Como as Ondas - Danniel Valente

Prazeres Artificiais - A.J. Cardiais



Hoje os jovens procuram o prazer
como um dever,
como uma obrigação...  

E, muitas vezes,
para que isso aconteça,
precisam “fazer a cabeça”
usado “estimulantes”:
bebem, fumam, cheiram...
Como se trouxesse solução.

Depois que passa o efeito,
ficam do mesmo jeito
ou em piores condições.

Mas viver não é só isso...
A vida é cheia de altos e baixos.
A tristeza também faz parte da vida.
A tristeza não uma é uma ferida.

É justamente na melancolia, na solidão,
que encontramos a razão
de estarmos vivos ou não.

A.J. Cardiais
11.02.2014
imagem: google

Um Mundo de Poetas - A.J.Cardiais













É muito difícil ver um poeta
pensando em riqueza.
O poeta só pensa na beleza.

Na beleza da vida
na beleza do amor
na beleza da paz
na beleza dos versos...

Se o mundo fosse feito
só de poetas,
a vida seria
uma poesia.

A.J. Cardiais
07.05.2014
imagem: google

Fugitivo - A.J.Cardiais















Abandono um poema,
entro em outro esquema,
escorrego numa rima
e não resolvo o problema...

Tudo que vem “de cima”,
dizem que é sagrado,
e se correr é pecado.
Então sou um pecador.

Eu corro um bocado.
Fujo da vida atribulada.
Fujo de tudo e de nada.

Fujo até de mim,
quando estou assim, assim...
Com a alma amargurada.

A.J. Cardiais
03.05.2014
imagem: google

Sereia - A.J.Cardiais















Sereia, minha Sereia...
O sangue que corre
em minha veia,
veio da África.
Veio singrando o mar.

Sereia, minha Sereia...
Mesmo estando
longe da aldeia,
minha força vem lá.

Vem pelas águas 
de Iemanjá.

Sereia, minha Sereia...
Ora iê, iê!
Odoiá!

A.J. Cardiais
imagem: google

Do livro: Psicografando-me

A Poesia em Você - A.J. Cardiais












Vi uma poesia
que não consegui escrever...
Vi numa floresta,
você dançando à luz solar.

Não pude acompanhar
o giro do seu vestido rodado.
Cada giro que você dava,
meu coração palpitava,
tão grande a emoção
que eu ficava.

Não consegui escrever...
Mas eu vi você.
Eu vi a poesia
acontecer.

A.J. Cardiais
imagem: google

Do livro: Psicografando-me

Lançamento livro de Lena Ferreira

O Movimento Literatura Clandestina
apresenta
Lena Ferreira, em:



MIL ALMAS 

Teço meus versos como quem ama
rendo-me ao sentir com intensidade
e a quem diga que me falta verdade
esforçarei-me a explicar essa trama

Na alma, arde uma vivíssima chama
que envia, à mente, muita criatividade
sentires tantos que em inventividade
deitam a mão ao papel; verso - cama

A quem pense que, por isso, minto
digo que, quando escrevo, eu sinto
cada segundo do sentir que invento

Teço versos como quem tem mil almas
invento amores e dores; me acalma
e acalmar-me é o verdadeiro intento

Lena Ferreira


Para adquirir o livro, clique no link abaixo:

Sentidos Afinados -Anorkinda



Sentidos afinados


Ao sentir os primeiros
toques do vento,
prelúdios de amor...

Percebi que a sinfonia
começara diferente,
notas de mais alto valor...

Fechei os olhos, 
sintomas de febre...

Ouvido apurado,
a vida esticando de leve

o cordão da afinação...


Anorkinda Neide

Noite Iluminada - Anorkinda



Noite iluminada

Esvoaçavam por todo lugar
pirilampos de claro alumiar
dançavam um ballet sutil
aproveitando o ar primaveril

Vaga-lumes da felicidade
que anunciavam lindezas
a porvir num raio-claridade
milagres da Natureza

Inspirei com muito prazer
o encanto daquela dança
sorvi o ar da esperança

Dancei naquela companhia
iluminada, farois de harmonia
celebrei a grande festa de Ser!

Anorkinda Neide